5G e BIM são apostas do setor de engenharia e construção para 2022

3447021

O leilão do 5G no Brasil inspira a especulação sobre quais serão os benefícios e mudanças que a nova tecnologia irá trazer aos setores. Quando se trata da indústria de engenharia e construção, a ultravelocidade pode proporcionar um avanço ainda maior na Engenharia 4.0. “Já está ocorrendo uma transformação e, nos próximos anos, será impossível falar dos avanços da Engenharia 4.0 sem falar do 5G. Tudo está interligado e será possível potencializar muitas das soluções existentes hoje e também criar novas ferramentas”, afirma André Medina, Gerente de Inovação da Andrade Gutierrez que, desde 2018, está à frente do Vetor AG, programa de inovação aberta da construtora, acompanhando de perto as evoluções tecnológicas dentro e fora do setor.

Uma das grandes expectativas é para a utilização do 5G dentro dos canteiros de obras, que poderão se tornar inteligentes, ou seja, mais automatizados, conectados e monitorados. “Essa conectividade e a rastreabilidade que ela permitirá sobre equipamentos, materiais e pessoas trarão dados e estatísticas em tempo real que serão úteis na redução de custo das obras, aumento de produtividade e tomada de decisões, além de impactar a segurança do trabalho de forma positiva, por meio da conectividade aplicada em equipamentos de proteção”, prevê o executivo.

Soluções como o BIM devem ser aceleradas

Medina explica que o 5G poderá acelerar diversas soluções já existentes, como a Internet das Coisas (IoT), automação, virtualização e até mesmo o BIM (Building Information Modeling). “O 5G abre caminho para que essas e outras tecnologias sejam melhor aproveitadas. É o caso de drones, sensores e qualquer outro aparelho que necessite de conexão com a internet. Todos serão beneficiados com a ultravelocidade, que proporcionará um tempo de resposta muito menor em comparação com o 4G”.

O BIM é uma representação digital de uma construção em todo o seu ciclo de vida, ou seja, desde a fase de projeto e planejamento até a construção e operação. Com o 5G, a expectativa é de um gerenciamento ainda mais apurado das informações geradas por meio do BIM, permitindo um acompanhamento e planejamento ainda melhores de cada obra. “Com o BIM conseguimos fazer projetos muito mais detalhados, unindo informações à modelagem 3D. Assim, é possível reduzir danos e tornar a etapa do planejamento mais eficiente. Com o 5G, isso tende a ser potencializado”, aposta Gustavo Brito, gerente de Implementação de Processos Digitais e uso BIM da Andrade Gutierrez.

Segundo o edital do leilão, aprovado pela Anatel, o 5G estará disponível nas 26 capitais do país e no Distrito Federal em julho deste ano. Para as outras cidades com mais de 30 mil habitantes, o prazo é até julho de 2029. Ainda não há previsão de quando a tecnologia estará disponível para uso no setor de engenharia, mas as construtoras já estão se preparando.

https://www.datacenterdynamics.com/br/not%C3%ADcias/5g-e-bim-s%C3%A3o-apostas-do-setor-de-engenharia-e-constru%C3%A7%C3%A3o-para-2022/

De: Datacenter Dynamics